6.10.08

Ups! - Parte III

Já há algum tempo que pensava mudar o serviço de telefone e de internet cá de casa, e o MEO parecia (e parece) uma boa opção. Por preguiça ainda não tinha feito a alteração, mas a Sra. da PT deve ter poderes de adivinhação e bateu-me à porta na passada segunda-feira. Mal abri a porta e vi que era sobre o MEO que ela me vinha chagar, disse à moça para entrar na cozinha e começar a preencher o contrato de adesão. Ela, surpresa, porque nem tinha vendido o peixe sequer, começou a tremer e quase não conseguia escrever. Depois de dois contratos e duplicados rasgados porque a mulher não se conseguia concentrar, lá assinei, marquei a instalação e agradeci por me ter poupado trabalho. Havia qualquer coisa estranha nela, pensei. Podia ser a sua primeira vez neste trabalho, podia ser o seu primeiro contrato do dia, podia só estar a pensar no peru que tinha deixado ao lume ou simplesmente tinha sintomas de alzheimer. Felizmente não era nada disso. Só quando voltei à cozinha me lembrei que a minha irmã tinha deixado um isqueiro com forma peculiar no cesto da tralha que está em cima da mesa. Com todos os acontecimentos que Portugal vive diariamente, não admira que a mulher estivesse quase a bater o queixo com tanto nervo, à espera que eu gritasse "Hey isto é um assalto! Passa para cá esse telemóvel velho p'ra caraças, esse fio manhoso com a cruz de Cristo e essa papelada toda que trazes na mala dos trezentos! Nem ao menos tens a porcaria de um carro para dar umas voltitas no bairro!".
Help Desk
Hoje entre outras coisas estranhas a minha melhor amiga disse-me:
"Eu só tenho deambulações loucas e muitas são contigo. Tenho de me afastar de ti ou ainda sou despedida. Só digo parvoices."
(como se eu tivesse culpa das deambulações loucas dela!)
Será sinal de demência minha ou dela?

9 comentários:

any the one disse...

Pois esse cestinho de tralha não oferece dúvidas. Uma arma, um chupa da Jameson que só pode conter ectasy, esqueiros para acender vá-se lá saber o quê, uma pilha que se perdeu a caminho do pilhão e esses smints & gum não enganam ninguém. Uma casa da perdição, com certeza.

Lady Oh my God! disse...

Leila*, um conselho para a vida mulher: em caso de dúvida ou persistência dos sintomas consulte o seu médico ou farmacêutico.

Não, estou a brincar, desconsidera o que disse. Face a essa pergunta temos de ter sempre em mente que a culpa nunca é nossa :)

AnNa disse...

Realmente... à primeira vista, a coisa mete respeito! Mas olhando para a tua cara, eu diria q isso seria mais um daqueles teus brinquedos da loucura! eheheh =) Não que tenhas cara de ninfomaniaca, mas porque és uma miúda que não gosta de cair na rotina! eheheh =)

Quanto à tua melhor amiga... deixa-me que lhe diga, se não fosses tu e as tuas "aventuras", as deambulações dela não teriam piada absolutamente nenhuma!
Digo eu que não sou nada de intrigas! LoOl

Beijo em si amiga Leila*!

mik@ disse...

loool coitada da rapariga, deve ter apanhado o susto da vida dela :)
bjinhos


p.s. o cesto ja ta aberto

Pablo disse...

Com um cesto tão ameaçador, tenho a certeza que... bem faladinho...
ela pagava a mensalidade!!

eheh
xaxau

Helena de Troia disse...

LOOOOOL esse cesto é um kit de iniciação de assaltante..
taduxa da senhora :P

Mokas disse...

vcs pah... é OBVIO...
ela está habituada a apanhar com a porta na cara.
é como os mormons e as testemunhas de jeová.
deixas entrar e depois...
"epah... agora n sabemos bem o que fazer... nunca tinhamos chegado a esta parte!"

Anónimo disse...

E não haveria nada de roupinha para engomar?? Apontavas-lhe o revolver e dizias: "Mais contratos só depois da roupinha engomadinha!! Ué...vai incará??"
Jokinhas* Manteiguimel

Ruca! disse...

desculpa mas esse episódio é lindo.
fartei-me de rir. pobre mulher, pensou msm q ia levar um tiro.

é que tu tens pinta de louca, percebes?

ahahah beijinhos e viva o meo*