24.2.10

[whatever.. works]

Quem ainda não viu o novo filme do Woody Allen é um ovo podre. Não é o filme da minha vida porque sou esquisitinha demais para isso, mas olhem que é bonzinho. Meio estranho como só podia, mas bom. Perceber que cada dia que vivemos é um dia a menos e que cada momento deve ser aproveitado da melhor forma porque pode ser o último, é fácil. Difícil é admitir que muitas vezes fazemos, dizemos e optamos por alguma coisa só porque não há nada melhor no horizonte imediato. Não é necessariamente errado, eu só não quero é fazer disso uma filosofia de vida. É que na realidade, depois nem tudo dá certo.

2 comentários:

Emma Bovary disse...

É também muito difícil estarmos de contas ajustadas connosco próprios ao ponto de sabermos quando devemos seguir em frente e não dar tudo por perdido, as nossas escolhas e decisões, as pessoas que deixamos entrar na nossa vida, as voltas a que nos deixamos submeter...

Também gostei muito do filme. E do blog, by the way... :)

Lana disse...

conteentarmo.nos nunca é bom. daí que o casal inicial tenha mudado. juntaram-se pk nd de melhor tinham e nada a perder. separaram-se pk era previsivelmente uma situaçao temporaria =)