20.2.11

[há gente muito idiota]


Ontem à noite desejei por instantes ter uma arma dentro da mala. Em vez de esconder o telemóvel rapidamente como fiz, tinha era dado um tiro a cada uma daquelas gajas. Confesso que sempre andei à vontade em Lisboa, por ruas e travessas sem medo que algo me acontecesse, mas ontem à frente daquelas sete gajas (e um gajo que não abriu a boca), tremi bastante. Estava claramente em minoria, não tenho ideia de ser super-herói e pensei 'é desta que me roubam' 'é desta que me batem' 'é desta que me levam o carro'. Nada disso aconteceu, mas uma das cabras ainda me amolgou o carro e fiquei com vontade de as matar. E perguntam vocês 'mas porquê?'. Por nada. Eu era simplesmente uma branca a andar sozinha às 4 da manhã num beco de pretos e elas queriam diversão. Foi bonito.

4 comentários:

AnNa disse...

Amor, da próxima vez, atropela-as! Vais ver que te sentes muito melhor! Se tiverem na estrada, fora da passadeira, não páro... É pé a fundo! Vais ver como se desviam num instantinho! ;o)

Verânia Aguiar disse...

:\ eu sei o k é isso... mas realmente não adianta, ja viu a sorte que teve? ainda bem k n andava cm a arma :) so prejudicaria sua liberdade, há raiva, mas aprendemos a controla-la principalmente se acreditarmos em Deus, mas não um klker, o Deus. :) a ele cabe a real justiça, nos nada podemos fzr, a justiça do mundo é corrupta, e o prazer k parece ser, matar, é prazer pekeno, curto, tlvz doentio.

Desculpa a seca, espero ser entendida, no seu caso sei k iria ter mt medo tb, masaxo k n estaria as 4 da manha tb por ai sozinha.

Helena de Troia disse...

Eu confesso que por vezes tenho medo.. e nesse caso, teria, e muito! Mas, como te almogaram o carro?

Leila* disse...

Helena amolgaram aos murros imagina! Nem partiram três dedos nem nada! grrrrr